Aqui você se encontra!

Doença

homem-dor-de-cabeca

Como os Homens Sentem a Depressão de Forma Diferente

  • 17 de Abr de 2018
  • Sheila Almeida
  • 60 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

A depressão pode ser um verdadeiro transtorno. Esse problema de saúde pode incluir uma série de sintomas emocionais, como tristeza extrema, perda de motivação e do prazer em atividades costumeiras, além de inúmeros efeitos físicos. Mas a depressão vai muito além desses sintomas – especialmente para os homens. Mas os especialistas afirmam que muitos homens podem nem sequer reconhecer ou admitir que sofrem da doença, seja por medo de serem julgados ou por acreditar que os sintomas estejam relacionados a outras doenças ou simplesmente estresse.

crianca

Quando Termina a Tristeza e Começa a Depressão?

  • 10 de Abr de 2018
  • Sheila Almeida
  • 95 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Em um estado depressivo, estamos falando, quase sempre, das consequências de uma perda, não importa de qual natureza – seja de uma pessoa querida (morte ou separação), de um emprego, de um sonho que se mostra impossível ou de um projeto que se mostra inviável. Nesses casos, o sujeito fica em uma situação na qual nada parece fazer sentido e a possibilidade de elaboração fica bastante comprometida.

borracha-cerebro

8 Hábitos Diários Para Aumentar Sua Inteligência Emocional

  • 21 de nov de 2017
  • Sheila Almeida
  • 637 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

O que diferencia uma pessoa com alto nível de inteligência emocional de outra conhecida por suas explosões de raiva, ataques de choro e mudanças repentinas de humor? Certamente não é a presença (ou falta) de um talento inato para lidar com os sentimentos. A inteligência emocional é resultado de treino, assim como qualquer outra competência. Seu desenvolvimento começa já na infância para algumas pessoas, mas também pode acontecer mais tarde, na vida adulta, a qualquer tempo.

homem-desapontado

A Relação Abusiva: Um Flagelo Da Sociedade

  • 25 de Set de 2017
  • Sheila Almeida
  • 244 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Um relacionamento abusivo também pode ser percebido do ponto de vista de quem comete os abusos. Não necessariamente de quem sofre ou ambos podem estar cometendo abusos um contra o outro e inicialmente sequer se dão conta. Ao perceber que está sofrendo um abuso ou que está sendo abusivo é fundamental que esse sujeito busque apoio especializado (psicológico e em determinados casos jurídico). O apoio familiar, dos amigos e conhecidos também é essencial e também é importante criar/fortalecer laços sociais, que o façam sentir seguro, ouvido e acolhido.

mulher-espelho

Autoimagem, Autoestima e Autoconceito

  • 22 de Ago de 2017
  • Sheila Almeida
  • 1013 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

A pessoa pode, através das suas escolhas, ir alimentando a autoestima. Quando toma decisões destrutivas para si, sem querer fortalece aquilo que mais a incomoda. No entanto, quando faz movimentos positivos, inverte essa situação. Funciona como um ciclo: quanto mais escolhas positivas faz, mais estima passa a ter por si mesmo, e quanto maior sua autoestima, mais positivas serão suas escolhas.

mulher-preocupada

10 questões sobre baixa autoestima

  • 15 de Ago de 2017
  • Sheila Almeida
  • 567 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

A baixa autoestima é um sentimento de menos valia e que está sempre associada ao sentimento de insegurança. Quem sofre de baixa autoestima tende a interpretar fatos e sinais de uma maneira ruim e tem uma visão extremamente negativa de si mesmo o tempo todo.

mulhe-espelho-coracao

Autoestima X Transtornos Emocionais

  • 08 de Ago de 2017
  • Sheila Almeida
  • 264 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

A autoestima está relacionado a sensação de confiança e adequação, em se sentir competente e merecedor. Além da admiração em si mesmo, também pode envolver o julgamento que você faz de si mesmo, autoconfiança, autorrespeito e auto aceitação.  

maos-dadas

Razões para perdoar

  • 25 de Jul de 2017
  • Sheila Almeida
  • 732 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Saber perdoar a nós próprios e a quem nos fez mal pode não ser fácil, mas é um ato necessário para libertar de rancores, evitar doenças e seguir com a vida. É tão difícil perdoar, porque muitos confundem o perdão com a aceitação de uma injustiça. Mas perdoar não é ser condescendente. Não é, por exemplo, deixar livre um criminoso, que precisa ser responsabilizado pelos seus atos. Perdoar é conseguir libertar-se do seu sentimento de mágoa para com o outro ou para consigo mesmo.

flor-mao

Você já se sentiu ofendido?

  • 18 de Jul de 2017
  • Sheila Almeida
  • 766 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

É importante entender que perdão não é o mesmo que esquecimento; desistência da busca por justiça; e reconciliação. Esquecimento implica que a memória da ofensa seja suprimida da consciência. Entretanto, ao perdoar não deixaremos de nos lembrar da afronta, mas torna-se possível relembrar a situação de um modo diferente e menos perturbador. A distinção básica entre perdão e reconciliação é que perdoar envolve a resposta de uma pessoa a uma ofensa. Reconciliação envolve duas pessoas relacionando-se bem novamente.

alianca

O Perdão como atitude resiliente

  • 11 de Jul de 2017
  • Sheila Almeida
  • 1660 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Pesquisas comprovam que a saúde física de quem perdoa, em geral, é melhor, porque o perdão leva a neutralidade, quebrando a retroalimentação da emoção negativa. Além da saúde mental, existem várias provas de que deixar para trás a hostilidade, protege a saúde física. Flexibilizar as regras que estabelecemos para nós e para os outros, alivia o estresse e a tensão, ao mesmo tempo em que renova as esperanças e aumenta a resiliência. Perdoar a si mesmo não significa esquecer o erro nem persistir nele, mas começar de novo, dar-se uma nova chance subtraindo aprendizado da experiência sem rancores. 

chave-coracao

Perdoar e ser perdoado é igualmente libertador

  • 04 de Jul de 2017
  • Sheila Almeida
  • 475 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Uma série de estudos associou a dificuldade de perdoar a emoções como raiva e tristeza e a reações fisiológicas que incluem tensão muscular, suor e aumento da pressão arterial. O perdão tem a capacidade de reduzir esses efeitos negativos, contendo a ansiedade, a depressão e a ira. Até o sono fica melhor. Pesquisas apontam também que a capacidade de perdoar protege contra os efeitos negativos do estresse na saúde mental.

casal-presente

Medo Da Intimidade Com O Outro

  • 18 de out de 2016
  • Sheila Almeida
  • 971 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Já se ouviu falar de casais que não foram capazes de manter a sua relação porque um deles se mostrou não preparado para os contratempos de um compromisso sério. Na maior parte destas histórias é o homem que revela esta incapacidade para se comprometer. Mas também existem exemplos de mulheres que, mesmo que não o assumam abertamente, põem fim às suas relações (ou empurram-nas para o fim) porque têm medo do compromisso. O medo de compromisso pode ser de fato um problema patológico muito semelhante ao da claustrofobia.

casal-amor

O Que Faz Um Relacionamento Dar Errado? 18 Sinais Críticos

  • 11 de out de 2016
  • Sheila Almeida
  • 1383 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Se as coisas dão errado no amor, é só por causa de uma questão simples: a falta de comunicação e compreensão. Todos os problemas na vida amorosa e todas as mágoas experimentadas são os efeitos de apenas uma ideia: a falta de comunicação entre os parceiros. Quando uma pessoa realmente entende o que sente por dentro, quando aprende a falar como se sente com o seu parceiro e ambos desempenham um papel ativo na compreensão e apoio um do outro, a vida amorosa vai florescer e resistir ao teste do tempo sem esforço.

casal-amarrados

Amores Errados - Por Que Insistir Neles?

  • 04 de out de 2016
  • Sheila Almeida
  • 402 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

O vínculo amoroso necessita do equilíbrio entre o dar e o receber. Se não nos amamos, o que temos para dar em troca do que recebemos? Quando a busca é de ser amado, a crença da pessoa pode ser traduzida por: “Eu necessito de amor como quando era criança”. A força amorosa passará pelas fases do amor infantil, do amor adolescente, do amor adulto e do amor maduro, evoluindo junto com a personalidade. Nascemos necessitando de amor e assim passamos muitos anos de nossa vida, mas com o desenvolvimento, aprendemos ou deveríamos aprender a amar a nós mesmos.

calculadora

6 Sinais de que sua Relação com o Dinheiro não é Saudável

  • 02 de Ago de 2016
  • Sheila Almeida
  • 464 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Adiar ou desistir de projetos pessoais apenas para ganhar mais dinheiro, acreditando que o aumento do patrimônio será suficiente para trazer realizações, é um erro. O dinheiro deve ser visto apenas como uma ferramenta, e não como objetivo. O dinheiro não deve ser sinônimo de sucesso e, a falta de dinheiro, de infelicidade, porque ele não consegue, por exemplo, comprar equilíbrio para tomar decisões acertadas. O importante é se sentir confortável com relação ao tema e se preparar para ouvir críticas e mudar formas de administrar o dinheiro.

casal-abracados

Desejo Sexual excessivo pode ser Compulsão Sexual

  • 19 de Jul de 2016
  • Sheila Almeida
  • 755 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Existe uma enorme diferença entre ser compulsivo e gostar muito de sexo. O fato da pessoa ter uma vida sexual intensa, de maneira alguma é um sintoma da compulsão sexual. Ter muita vontade de transar não caracteriza um transtorno. A diferença é que o compulsivo não consegue resistir aos pensamentos e desejos, que precisam ser saciados no mesmo momento, não importando com quem. De verdade, a compulsão sexual é um transtorno psiquiátrico do impulso, em que o indivíduo tem pensamentos e atos obsessivos envolvendo o sexo.

mae-filho

Emoções Básicas e Relações Afetivas

  • 15 de Jun de 2016
  • Sheila Almeida
  • 596 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

O medo, a raiva, a alegria e a tristeza são as quatro emoções básicas do ser humano, que sentimos em qualquer época, idade e cultura. Estas emoções não estão em nosso dia a dia por uma questão arbitrária ou de capricho, mas sim porque desempenham o papel principal em nosso desenvolvimento psicológico. Elas servem para nos avisar e guiar na conservação do nosso organismo e na nossa socialização. Vale recordar que todos temos medo, sentimos raiva, bem como nos alegramos e nos entristecemos, porque desta maneira a mente e o corpo se desenvolvem e nós podemos transcender como seres humanos e nos socializarmos.

gravida

Relacionamentos Conflituosos: Mudar é possível

  • 08 de Jun de 2016
  • Sheila Almeida
  • 391 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Muitos defendem a possibilidade da separação ser a melhor alternativa em algumas situações, quando a união se apresenta como insustentável. Nesses casos uma avaliação mais aprofundada da situação é necessária para que não se corra o risco de finalizar um relacionamento em que a felicidade seja possível, porque, muitas vezes, o clima conflituoso se origina em desentendimentos ocorridos devido a falhas na comunicação e interpretações errôneas. 

mao-familia

As Relações Afetivas e a Intimidade

  • 01 de Jun de 2016
  • Sheila Almeida
  • 412 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

O ser humano tem uma demanda de amor, busca amar e ser amado todo o tempo. Nascemos e imediatamente precisamos de afeto para nosso processo de crescimento emocional. Da mesma forma que precisamos de cuidados para nos desenvolvermos fisicamente, precisamos do amor incondicional, aquele tão buscado em nossa vida: ser amado pelo que somos.

mao-coracao

Emoções exercem influência sobre a Saúde

Atualmente, já é possível demonstrar, por meio da fisiologia, como o comportamento de células e os neurotransmissores (mediadores químicos), entre outros, são afetados pelas emoções, notadamente as emoções básicas do ser humano: raiva, medo, tristeza, alegria, afeto.

mulher-varias-faces

As Emoções Básicas do Ser Humano

  • 13 de Mai de 2016
  • Sheila Almeida
  • 721 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Desde a disparo da carga emocional até seu efeito corporal, podemos identificar três tempos da emoção: o sentir, o expressar verbal e o atuar corporal. Processo educacionais podem reprimir o que se sente e assim começam as emoções de disfarce: proibição de uma emoção autêntica e imposição para que a pessoa não sinta o que sente, e sinta o que o outro quer que ela sinta, calando-a.

mulher-bracos-abertos

Espiritualidade, Emoções e Sentimentos

  • 10 de Mai de 2016
  • Sheila Almeida
  • 1077 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

A insistência em ser aquilo que não somos e a persistência em fazer aquilo que não é da nossa natureza, faz com que as emoções nos conduzam à tristeza, à frustração. Ao persistir na negatividade mental e na tristeza, as emoções são afetadas e o cérebro desencadeia processos bioquímicos no corpo, e quanto mais tempo for a permanência nesse estado, mais crônica a situação se torna.

familia-emocoes

O que são as emoções?

  • 07 de Mai de 2016
  • Sheila Almeida
  • 453 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

O estudo das emoções é muito importante com relação a nossa sobrevivência enquanto seres humanos. Se não mantivermos nossas emoções bem estruturadas, nossas chances de sobrevivência ficam bem reduzidas. Somos seres com uma biologia elaborada e de emoções bem refinadas como altruísmo, solidariedade, compaixão. Mas é imprescindível que essas atividades emocionais sejam harmonizadas e equilibradas pensamento analítico e investigativo.

astrologia

Autoconhecimento, um mergulho interior

  • 19 de Abr de 2016
  • Sheila Almeida
  • 442 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

28/03/2016 O autoconhecimento, segundo a psicologia, significa o conhecimento de um indivíduo sobre si mesmo. A prática de se conhecer melhor faz com que uma pessoa tenha maior entendimento sobre suas emoções, independente de serem positivas ou distorcidas. Assim que você se entender, assim que souber o porquê de agir e reagir da forma que faz hoje, você poderá ter ferramentas para viver da forma que perceber mais produtiva. O autoconhecimento pode oferecer a oportunidade para saber quais seus conteúdos mentais mais significativos, quando entraram em sua mente e como fazer para melhorá-los.

espiritualidade-nas-organizacoes

Espiritualidade, uma experiência de transformação

  • 12 de Abr de 2016
  • Sheila Almeida
  • 461 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Todos os aspectos da consciência, sejam eles espirituais, cognitivos ou emocionais agem sobre o corpo. Em outras palavras, o corpo se manifesta respondendo a todos os pensamentos, emoções, desejos e crenças. Espiritualidade é a consciência de participação, de comunhão e a busca pessoal pelo sagrado ou divino feita por indivíduos ligados a uma instituição religiosa ou não. Pode-se vivê-la por meio da música, das artes, da meditação, de um ato de amor ou em momentos significativos e profundos.

reincarnacao

O que é Espiritualidade?

  • 05 de Abr de 2016
  • Sheila Almeida
  • 467 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

A prática da espiritualidade é um exercício diário e permanente para cada pessoa.  Consiste, basicamente, na busca pelo contato com seu Eu Interior, com a sua Essência e também na procura pela conexão entre esse Eu Interior e o Universo em que está inserido. Há em cada um de nós uma profundidade que não conseguimos alcançar. Estamos sempre questionando nossa própria essência, o sagrado e o universo. Além disto, temos necessidade de significado e sentido para a vida.

mente

A Importância do Autoconhecimento

  • 30 de Mar de 2016
  • Sheila Almeida
  • 471 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Podemos perceber que a autoestima está baixa quando desenvolvemos algumas características como: insegurança, inadequação, perfeccionismo, dúvidas, incertezas, de não ser capaz, de não conseguir realizar nada, de errar, e necessidade de agradar, ser aprovado, reconhecido pelo que faz e nem sempre pelo que é. Se você identificou algumas dessas características, pode ser que esteja precisando aumentar seu autoconhecimento para assim elevar sua autoestima. A maioria das pessoas com baixa estima sente mais facilidade em identificar as suas qualidades distorcidas.

raiva

Transtorno Explosivo Intermitente (TEI) ou “Pavio Curto”

  • 03 de nov de 2015
  • Sheila Almeida
  • 904 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

A raiva é uma emoção normal que pode ocasionar sentimentos como aborrecimento ou irritação, e que somente quando fora de controle, torna-se destrutiva, causando problemas nas relações pessoais, de trabalho e qualidade de vida.   São constantes também o extremo sarcasmo, a persistente amargura ou explosões verbais. Invariavelmente, quando as pessoas conseguem pensar com mais calma, sentem-se genuinamente arrependidos, com vergonha, culpados, tristes e confusas.

inveja-dia-a-dia

A Inveja Nossa De Cada Dia...

  • 27 de out de 2015
  • Sheila Almeida
  • 566 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

A inveja é um sentimento negativo, que deixa claro que o invejoso se sente inferior ao invejado. Ela pode ter diversos motivos: econômicos, sociais, amorosos, mas, de fato, a inveja se transveste numa desculpa qualquer. Ela é cultivada em nossa sociedade através desta busca incansável do melhor, para nós.    Sempre ser o melhor, comer melhor, ter o melhor parceiro, os melhores filhos, e, nesta busca, nos deparamos com outros que tem coisas diferentes de nós e aí nasce a inveja. Ela abre espaço para outros tipos de sentimentos negativos, que são alimentados dia após dia, iniciando doenças mentais e físicas, ...

mulher-ruendo-unhas

Tempos de Crise, Ansiedade, Medo e Depressão - Medo, como vencer os seus

  • 24 de Jul de 2015
  • Sheila Almeida
  • 666 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Ansioso quando terá que se apresentar a entrevistas ou reuniões, perde o sono por causa de resultados de exames médicos, tem medo que sua parceira te deixe? Tudo isso é medo, por mais que você dê nomes diferentes como: apreensão, preocupação, ansiedade, angustia, no fundo é tudo a mesma coisa, MEDO... Às vezes você nem está consciente, nem está percebendo medos e inseguranças, até se acostuma com eles, mas mesmo assim eles podem estar lhe impedindo de fazer uma série de coisas, como por exemplo ter relacionamento bacana com alguém ou conseguir um emprego legal . 

mulher-ruendo-unhas

Tempos de Crise, Ansiedade, Medo e Depressão - Ansiedade, Ânsia e Nervosismo

  • 23 de Jul de 2015
  • Sheila Almeida
  • 574 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Mesmo diante de todo o caos de nossa rotina, é possível viver de maneira mais tranquila e pacífica, utilizando ferramentas que poderão ajudá-lo a livrar-se da ansiedade, esse mal que tanto prejudica sua qualidade de vida. Ansiedade, ânsia ou nervosismo é uma característica biológica do ser humano, que antecede momentos de perigo real ou imaginário, marcada por sensações corporais desagradáveis, tais como uma sensação de vazio no estômago, coração batendo rápido, medo intenso, aperto no tórax, transpiração, e outras alterações associadas à disfunção do sistema nervoso autônomo.

mulher-deprimida

7 Sinais Da Depressão

  • 18 de Jul de 2015
  • Sheila Almeida
  • 574 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

A depressão é um distúrbio afetivo que acompanha a humanidade ao longo de sua história. No sentido patológico, há presença de tristeza, pessimismo, baixa autoestima, que aparecem com frequência e podem combinar-se entre si. É imprescindível o acompanhamento médico e terapêutico, tanto para o diagnóstico quanto para o tratamento adequado.

mulher-ruendo-unhas

Tempos de Crise, Ansiedade, Medo e Depressão

  • 07 de Jul de 2015
  • Sheila Almeida
  • 591 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Em momentos de crise todos precisam aumentar a resiliência e reorientar o foco. Não devem só focar no lado sombrio, mas encontrar novas maneiras de analisar a situação. O que se pode fazer? A pessoa pode mapear o que tem de melhor e começar uma nova fase. Um momento terrível pode ser um momento de libertação. Todos deveriam entender que numa crise precisam sempre ter duas listas, a do que não podem fazer e a do que devem fazer.

abraco

Você sabe o que significa o Amor Patológico?

  • 23 de Abr de 2015
  • Sheila Almeida
  • 641 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Quem ama patologicamente, não consegue sair da ilusão e nem enxergar a realidade. É como se a pessoa ficasse cega no momento em que nutriu a esperança.   Se a outra pessoa, por diversas circunstâncias, resolve sair da relação, o amante patológico jamais aceita este fato, dedicando então a sua vida inteira a reconquistar aquele amor de forma obcecada.

controle-amor

Amor doentio - controle e dependência

  • 14 de Abr de 2015
  • Sheila Almeida
  • 1245 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

As principais estratégias utilizadas pelas pessoas que amam de forma doentia para controlar o outro são ligações telefônicas, seguir o parceiro, interrogar sobre as atividades dele, ser extremamente atencioso para com as necessidades dele e provocar ciúme. Há quem diga que o medo é a essência desse amor. A pessoa foge da sensação de isolamento tornando-se parte de outra. Isso ocorre porque o foco principal de sua vida é manter o parceiro sob controle, porque necessita da sua atenção.

mulher-homem-discussao

Quando o Amor vira Doença

  • 07 de Abr de 2015
  • Sheila Almeida
  • 675 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

No amor doentio a pessoa começa a viver em função do amado, vasculha tudo na vida do outro e corre um sério risco de estar caindo na cilada do ciúme excessivo. Quem tenta aconselhar se torna um inimigo, é como se destruísse algo saudável. Na visão daquele que ama demais, o relacionamento dele é normal porque sempre vai viver na expectativa de que a situação melhore, não notando que o amor que está vivendo é sinônimo de sofrimento. Porque ele ama muito, não liga de ser humilhado e sempre justifica as atitudes do ser amado.

homem-conversa

Autoimagem negativa – cuidado com seu espelho mental

  • 18 de nov de 2014
  • Sheila Almeida
  • 1230 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

A autoestima surge da autoimagem positiva que temos de nós, é algo que de forma proativa construímos. A autoestima não se constrói na passividade, nem quando pensamos que vem dos acontecimentos exteriores: a autoestima desenvolve-se no mundo real. O que se pretende é uma construção sólida, e isto só é possível a partir do nosso interior. Pessoas com a autoestima elevada,  promovem a capacidade de serem felizes, aumentam o seu bem-estar e, consequentemente, a produtividade nas suas vidas.

Ansiedade é doença?

  • 15 de Jul de 2014
  • Sheila Almeida
  • 610 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

A ansiedade é um grande mal da civilização moderna. Ela decorre normalmente da excitação constante em que as pessoas  vivem, das situações de estresse e de pressão, tanto no âmbito pessoal, como profissional. A vida agitada, a velocidade dos acontecimentos, o excesso de informações, a aceleração do tempo, tudo isso estimula excessivamente o Sistema Nervoso Central, que geralmente é incitado diante de situações de perigo. Esta emoção é da mesma família do medo, distinguindo-se dele pelas motivações , porque no caso do medo, as causas são concretas, evidentes, enquanto no da ansiedade, todos os sintomas são gerados pela ...

O que é Terapia?

  • 29 de Set de 2011
  • Sheila Almeida
  • 799 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

A procura por um processo psicoterapêutico pode ter como fator motivador desde uma busca pelo autoconhecimento à necessidade constatada de uma ajuda profissional para lidar com questões conflituosas, de ordem emocional, comportamental e/ou psiquiátrica, que estejam comprometendo funcionalmente a pessoa (trabalho, escola, finanças, amigos, família, etc.). O tratamento pode ser individual, em grupo, casal ou familiar, de acordo com a avaliação diagnóstica e o projeto terapêutico a ser definido pelo psicoterapeuta responsável. A psicoterapia visa, além de tratar os variados sintomas de características ansiosas e/ou ...

Ciúme: Do Amor à Doença

  • 06 de Mai de 2011
  • Sheila Almeida
  • 686 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

As pessoas são criadoras ativas, ao invés de criaturas passivas diante da existência. E o que isso tem a ver com ciúme? É da responsabilidade humana uma vida afetiva equilibrada e a capacidade de criar emoções saudáveis, desde que as emoções têm um papel decisivo na construção e manutenção da harmonia interna e consequentemente nas relações que são desenvolvidas.  Se se considerar que o ciúme é um estado emocional que muitas vezes destrói este equilíbrio, fica clara a importância de se descobrir como funciona este processo internamente.É claro que em alguns casos, o ciúme pode funcionar como uma espécie de ...

Tema: Ciúmes: Do Amor e Doença

  • 12 de Abr de 2011
  • Sheila Almeida
  • 585 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Workshop Gratuito em Maio de 2011 Ciúme: amor ou doença? Artigo Dra. Sheila Almeida Terapeuta de Casal e Família, Individual e Grupo As pessoas são criadoras ativas, ao invés de criaturas passivas diante da existência. E o que isso tem a ver com ciúme? É da responsabilidade humana uma vida afetiva equilibrada e a capacidade de criar emoções saudáveis, desde que as emoções têm um papel decisivo na construção e manutenção da harmonia interna e consequentemente nas relações que são desenvolvidas. Se se considerar que o ciúme é um estado emocional que muitas vezes destrói este equilíbrio, fica clara a importância de se descobrir como ...

Ciúme: A Transformação do Amor em Doença

  • 01 de Set de 2010
  • Sheila Almeida
  • 547 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Workshop em Setembro   Ciúme: A Transformação do Amor em Doença   Qualquer Forma De Amor Vale A Pena?   Artigo Drª Sheila Almeida Todos tendemos a acreditar que o sofrimento é um sinal de amor verdadeiro, que se recusar a sofrer por amor é egoísmo, e que se uma pessoa tem um problema com o parceiro deveria, então, ajudá-lo a mudar. Estas são algumas das crenças que ajudam a criar os sintomas de “pessoas que amam demais”, o vício de amar. Quando amar significa sofrer, não é amor, é dor. E dor é sinal de que algo está mal ou doente e precisa ser tratado, cuidado. Isto não pode ser feito pelo parceiro, não adianta querer ...