Aqui você se encontra!

Família

homem-dor-de-cabeca

Como os Homens Sentem a Depressão de Forma Diferente

  • 17 de Abr de 2018
  • Sheila Almeida
  • 60 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

A depressão pode ser um verdadeiro transtorno. Esse problema de saúde pode incluir uma série de sintomas emocionais, como tristeza extrema, perda de motivação e do prazer em atividades costumeiras, além de inúmeros efeitos físicos. Mas a depressão vai muito além desses sintomas – especialmente para os homens. Mas os especialistas afirmam que muitos homens podem nem sequer reconhecer ou admitir que sofrem da doença, seja por medo de serem julgados ou por acreditar que os sintomas estejam relacionados a outras doenças ou simplesmente estresse.

crianca

Quando Termina a Tristeza e Começa a Depressão?

  • 10 de Abr de 2018
  • Sheila Almeida
  • 95 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Em um estado depressivo, estamos falando, quase sempre, das consequências de uma perda, não importa de qual natureza – seja de uma pessoa querida (morte ou separação), de um emprego, de um sonho que se mostra impossível ou de um projeto que se mostra inviável. Nesses casos, o sujeito fica em uma situação na qual nada parece fazer sentido e a possibilidade de elaboração fica bastante comprometida.

mulher-ansiosa

A Depressão e a Ansiedade são Sinais de Luta, não de Fraqueza

  • 03 de Abr de 2018
  • Sheila Almeida
  • 191 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

A depressão e a ansiedade não são sinônimos de fraqueza. Tampouco são consequências de escolhas pessoais. Não podemos decidir se queremos ou não que essas condições nos acompanhem. Não são sinais de fraqueza, nem de fragilidade ou pobreza de espírito. Tampouco são sinais de rendição ou negligência. São sinais de luta, de enfrentamento perante as adversidades da vida ou situações pessoais muito incômodas e dolorosas, perdas, experiências negativas e incertezas.

borracha-cerebro

8 Hábitos Diários Para Aumentar Sua Inteligência Emocional

  • 21 de nov de 2017
  • Sheila Almeida
  • 637 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

O que diferencia uma pessoa com alto nível de inteligência emocional de outra conhecida por suas explosões de raiva, ataques de choro e mudanças repentinas de humor? Certamente não é a presença (ou falta) de um talento inato para lidar com os sentimentos. A inteligência emocional é resultado de treino, assim como qualquer outra competência. Seu desenvolvimento começa já na infância para algumas pessoas, mas também pode acontecer mais tarde, na vida adulta, a qualquer tempo.

cerebro-xray

14 Sinais De Que Você Tem Inteligência Emocional - Parte I

  • 06 de nov de 2017
  • Sheila Almeida
  • 426 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

O que torna algumas pessoas mais bem-sucedidas que outras no trabalho e na vida? QI e ética são importantes, mas não é tudo. Nossa inteligência emocional - o modo como gerenciamos as emoções, tanto as nossas como as dos outros - pode ter um papel crítico para determinar nossa felicidade e nosso sucesso.

marionete

Quem deixa você com raiva lhe domina

  • 26 de out de 2017
  • Sheila Almeida
  • 773 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Quando a raiva surge de um estímulo concreto, como um ato ofensivo ou uma situação desagradável, é muito mais fácil saber que caminho tomar e como agir. Você tem a opção de brigar, digerir o que aconteceu e deixá-la passar ou lidar com a situação civilizadamente. Mas quando a raiva não é dirigida especificamente a algo ou alguém, mas permeia de irritação todo o seu mundo emocional, é mais difícil controlar. Em princípio, a raiva é uma emoção positiva na medida em que nos permite resistir a circunstâncias que são frustrantes ou ameaçadoras. É simplesmente uma reação de defesa ou ataque. Mas quando a raiva se torna constante, ...

homem-raiva

Descubra a fragilidade que se esconde atrás da raiva

  • 23 de out de 2017
  • Sheila Almeida
  • 639 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

O que é e porque sentimos raiva? É importante começar falando que não são os outros ou eventos externos que causam nossa raiva, e sim a maneira como nós interpretamos os eventos e os comportamentos dos outros. É comumente utilizada por nós quando percebemos que as coisas não aconteceram da maneira que nós gostaríamos, quando então ficamos frustrados, quando alguém ou algo ‘quebra’ alguma regra interna nossa, quando nos sentimos injustiçados ou quando fomos privados de direitos que achamos que temos.

homem-raivoso

Por que sentimos raiva?

  • 16 de out de 2017
  • Sheila Almeida
  • 518 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Em estado de contenção a raiva só vai se acumulando e se tornando cada vez mais poderosa. Por isso, bastará apenas um motivo, inclusive o mais tolo, para que ela seja totalmente liberada. É aí que a pessoa, até então tão controlada, aparecerá frente seus familiares e conhecidos totalmente modificada, transtornada, fazendo coisas inacreditáveis. As pessoas não conseguirão entender como algo tão insignificante gerou uma reação tão tempestuosa.

mulher-desapontada

7 Sinais Precoces de Relacionamentos Abusivos

  • 28 de Set de 2017
  • Sheila Almeida
  • 522 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

É preciso ter muito cuidado se, quando ainda estamos começando o relacionamento, o outro nos promete dar até a lua. Uma pessoa abusiva costuma prometer coisas como: “nada vai te faltar”, “eu vou cuidar de você” ou “não precisa se preocupar”. Nestas promessas não costumam estar refletidos seus sonhos e desejos. Um dos sinais precoces dos relacionamentos abusivos é que o controle e todas as promessas costumam estar baseados em você, mas dependem totalmente do seu parceiro.

homem-desapontado

A Relação Abusiva: Um Flagelo Da Sociedade

  • 25 de Set de 2017
  • Sheila Almeida
  • 244 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Um relacionamento abusivo também pode ser percebido do ponto de vista de quem comete os abusos. Não necessariamente de quem sofre ou ambos podem estar cometendo abusos um contra o outro e inicialmente sequer se dão conta. Ao perceber que está sofrendo um abuso ou que está sendo abusivo é fundamental que esse sujeito busque apoio especializado (psicológico e em determinados casos jurídico). O apoio familiar, dos amigos e conhecidos também é essencial e também é importante criar/fortalecer laços sociais, que o façam sentir seguro, ouvido e acolhido.

casal-brigando

Como Detectar Uma Relação Abusiva

  • 18 de Set de 2017
  • Sheila Almeida
  • 375 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Há mais casos de violência doméstica do que se pensa, e nem sempre se trata de abuso físico. O abuso emocional é ainda mais perigoso, porque penetra mais fundo que uma agressão física. O abuso emocional fere enormemente uma pessoa e, em muitos casos, essa ferida pode ser permanente. Por isso é que se diz que ele é mais perigoso que o abuso físico.

mulher-espelho

Autoimagem, Autoestima e Autoconceito

  • 22 de Ago de 2017
  • Sheila Almeida
  • 1013 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

A pessoa pode, através das suas escolhas, ir alimentando a autoestima. Quando toma decisões destrutivas para si, sem querer fortalece aquilo que mais a incomoda. No entanto, quando faz movimentos positivos, inverte essa situação. Funciona como um ciclo: quanto mais escolhas positivas faz, mais estima passa a ter por si mesmo, e quanto maior sua autoestima, mais positivas serão suas escolhas.

mulher-preocupada

10 questões sobre baixa autoestima

  • 15 de Ago de 2017
  • Sheila Almeida
  • 567 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

A baixa autoestima é um sentimento de menos valia e que está sempre associada ao sentimento de insegurança. Quem sofre de baixa autoestima tende a interpretar fatos e sinais de uma maneira ruim e tem uma visão extremamente negativa de si mesmo o tempo todo.

mulhe-espelho-coracao

Autoestima X Transtornos Emocionais

  • 08 de Ago de 2017
  • Sheila Almeida
  • 264 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

A autoestima está relacionado a sensação de confiança e adequação, em se sentir competente e merecedor. Além da admiração em si mesmo, também pode envolver o julgamento que você faz de si mesmo, autoconfiança, autorrespeito e auto aceitação.  

mulher-abracando-coracao

Mas, o que é autoestima?

  • 04 de Ago de 2017
  • Sheila Almeida
  • 250 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Quando se fala em autoestima não se está falando apenas de um sentimento que se tem por si mesmo. Mais que isso, está-se falando de pensamentos e comportamentos que o indivíduo tem relacionado a si próprio.

maos-dadas

Razões para perdoar

  • 25 de Jul de 2017
  • Sheila Almeida
  • 732 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Saber perdoar a nós próprios e a quem nos fez mal pode não ser fácil, mas é um ato necessário para libertar de rancores, evitar doenças e seguir com a vida. É tão difícil perdoar, porque muitos confundem o perdão com a aceitação de uma injustiça. Mas perdoar não é ser condescendente. Não é, por exemplo, deixar livre um criminoso, que precisa ser responsabilizado pelos seus atos. Perdoar é conseguir libertar-se do seu sentimento de mágoa para com o outro ou para consigo mesmo.

flor-mao

Você já se sentiu ofendido?

  • 18 de Jul de 2017
  • Sheila Almeida
  • 766 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

É importante entender que perdão não é o mesmo que esquecimento; desistência da busca por justiça; e reconciliação. Esquecimento implica que a memória da ofensa seja suprimida da consciência. Entretanto, ao perdoar não deixaremos de nos lembrar da afronta, mas torna-se possível relembrar a situação de um modo diferente e menos perturbador. A distinção básica entre perdão e reconciliação é que perdoar envolve a resposta de uma pessoa a uma ofensa. Reconciliação envolve duas pessoas relacionando-se bem novamente.

alianca

O Perdão como atitude resiliente

  • 11 de Jul de 2017
  • Sheila Almeida
  • 1660 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Pesquisas comprovam que a saúde física de quem perdoa, em geral, é melhor, porque o perdão leva a neutralidade, quebrando a retroalimentação da emoção negativa. Além da saúde mental, existem várias provas de que deixar para trás a hostilidade, protege a saúde física. Flexibilizar as regras que estabelecemos para nós e para os outros, alivia o estresse e a tensão, ao mesmo tempo em que renova as esperanças e aumenta a resiliência. Perdoar a si mesmo não significa esquecer o erro nem persistir nele, mas começar de novo, dar-se uma nova chance subtraindo aprendizado da experiência sem rancores. 

chave-coracao

Perdoar e ser perdoado é igualmente libertador

  • 04 de Jul de 2017
  • Sheila Almeida
  • 475 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Uma série de estudos associou a dificuldade de perdoar a emoções como raiva e tristeza e a reações fisiológicas que incluem tensão muscular, suor e aumento da pressão arterial. O perdão tem a capacidade de reduzir esses efeitos negativos, contendo a ansiedade, a depressão e a ira. Até o sono fica melhor. Pesquisas apontam também que a capacidade de perdoar protege contra os efeitos negativos do estresse na saúde mental.

cerebro-xray

5 habilidades essenciais para aumentar a Inteligência Emocional

  • 25 de Abr de 2017
  • Sheila Almeida
  • 569 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

A Inteligência Emocional (IE) é a capacidade de identificar, usar, entender e gerenciar as emoções de maneira positiva para aliviar o estresse, comunicar de forma eficaz, ser empático com os outros, superar desafios e resolver os conflitos. A Inteligência Emocional impacta muitos aspectos diferentes da nossa vida diária e em nosso processo de tomada de decisão.

garoto-cerebro

9 situações para usar a Inteligência Emocional a seu favor

  • 18 de Abr de 2017
  • Sheila Almeida
  • 370 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

A emoção é a base da decisão e da nossa reação ao futuro.  Ela tem capacidade de comandar as nossas reações diante de adversidades, conflitos, negociações e decisões importantes na vida e na carreira. Entender as emoções dos outros e ajustar a sua reação a elas é também domínio da gestão emocional.

borracha-cerebro

8 Ideias para potencializar a sua Inteligência Emocional no dia a dia

  • 11 de Abr de 2017
  • Sheila Almeida
  • 357 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Treine a sua Inteligência Emocional e descubra os seus benefícios no seu dia a dia, tanto para você como para os relacionamentos com as outras pessoas.Quando você tiver um problema com alguém, procure resolvê-lo da melhor forma possível, dialogando e expondo os seus pontos de vista.

homem-duas-caras

Inteligência Emocional - como usá-la a seu favor

  • 04 de Abr de 2017
  • Sheila Almeida
  • 315 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

A inteligência emocional é a capacidade de entender as próprias emoções e as dos outros de forma equilibrada.E de resolver os próprios problemas do dia a dia sem que o mundo venha abaixo. A inteligência emocional é a habilidade de administrar as emoções.

mulher-inveja

Invejoso X Invejado: quem é o grande prejudicado?

  • 14 de Mar de 2017
  • Sheila Almeida
  • 427 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Proteger-se da inveja é uma atitude interna, emocional, de trabalhar sua autoestima, sua autovalorização, tomar posse de si mesmo, estar íntegro. É preciso assumir as suas escolhas e arcar com as consequências, e a sua vida estará em suas mãos.

casal-amor

O Que Faz Um Relacionamento Dar Errado? 18 Sinais Críticos

  • 11 de out de 2016
  • Sheila Almeida
  • 1383 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Se as coisas dão errado no amor, é só por causa de uma questão simples: a falta de comunicação e compreensão. Todos os problemas na vida amorosa e todas as mágoas experimentadas são os efeitos de apenas uma ideia: a falta de comunicação entre os parceiros. Quando uma pessoa realmente entende o que sente por dentro, quando aprende a falar como se sente com o seu parceiro e ambos desempenham um papel ativo na compreensão e apoio um do outro, a vida amorosa vai florescer e resistir ao teste do tempo sem esforço.

casal-amarrados

Amores Errados - Por Que Insistir Neles?

  • 04 de out de 2016
  • Sheila Almeida
  • 402 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

O vínculo amoroso necessita do equilíbrio entre o dar e o receber. Se não nos amamos, o que temos para dar em troca do que recebemos? Quando a busca é de ser amado, a crença da pessoa pode ser traduzida por: “Eu necessito de amor como quando era criança”. A força amorosa passará pelas fases do amor infantil, do amor adolescente, do amor adulto e do amor maduro, evoluindo junto com a personalidade. Nascemos necessitando de amor e assim passamos muitos anos de nossa vida, mas com o desenvolvimento, aprendemos ou deveríamos aprender a amar a nós mesmos.

nota-100-reais

Modelos de perfis econômicos

  • 16 de Ago de 2016
  • Sheila Almeida
  • 569 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Que educação financeira é importante para o adequado gerenciamento do próprio dinheiro e realização de sonhos, isso talvez seja inquestionável. Mas essa necessidade de lidar bem com as próprias finanças vem tomando maiores proporções a cada dia, seja pelo aumento da complexidade das demandas financeiras , seja pelo futuro cada vez mais incerto de nossa economia. Como exemplo temos o indivíduo confuso entre o amor e o dinheiro, o qual é sempre generoso e sempre tem dinheiro, preocupando-se com entes queridos que estejam sem dinheiro. Sabe que sentirá culpa por ficar, ele próprio, sem dinheiro, porém, quando dá, arrepende-se ...

mulher-dinheiro

O Dinheiro e nossas emoções

  • 09 de Ago de 2016
  • Sheila Almeida
  • 445 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Controlar nossas emoções financeiras é termos um propósito extremamente bem definido com dinheiro. Saber o motivo exato pelo qual trabalhamos, investimos e consumimos. Quando não temos esse controle, nós passamos a consumir desenfreadamente, a sumir com o dinheiro e incrivelmente nos tornamos escravos dele. Se não comandarmos o dinheiro através de um propósito, ele passa a nos comandar. Muitos perguntam se a energia do dinheiro é positiva ou negativa. O dinheiro por si só é um instrumento de interação na sociedade. Podemos fazer um paralelo entre a energia do dinheiro e a energia das palavras, que ...

calculadora

6 Sinais de que sua Relação com o Dinheiro não é Saudável

  • 02 de Ago de 2016
  • Sheila Almeida
  • 464 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Adiar ou desistir de projetos pessoais apenas para ganhar mais dinheiro, acreditando que o aumento do patrimônio será suficiente para trazer realizações, é um erro. O dinheiro deve ser visto apenas como uma ferramenta, e não como objetivo. O dinheiro não deve ser sinônimo de sucesso e, a falta de dinheiro, de infelicidade, porque ele não consegue, por exemplo, comprar equilíbrio para tomar decisões acertadas. O importante é se sentir confortável com relação ao tema e se preparar para ouvir críticas e mudar formas de administrar o dinheiro.

homem-mulher

A Responsabilidade Sexual

  • 26 de Jul de 2016
  • Sheila Almeida
  • 523 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Uma relação sexual é um ato de comunhão entre o corpo e o espírito. É um encontro muito importante que não deve ser considerado de forma leviana. Existem zonas íntimas na alma – recordações, dor, segredos – que as pessoas não gostam de partilhar a não ser com a pessoa que mais amam, assim como existe um lugar semelhante em cada alma do qual ninguém se aproxima a não ser a pessoa que mais amam. O mesmo acontece com o corpo. Há lugares do corpo de que as pessoas não deixam ninguém se aproximar, a não ser aqueles que respeitam e amam, aqueles em que depositam total confiança.

criancas-banho

O Desenvolvimento Da Sexualidade E A Moral Sexual

  • 12 de Jul de 2016
  • Sheila Almeida
  • 603 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Não existem duas pessoas iguais e, portanto, também ao nível do comportamento sexual as diferenças existem. Perante o mesmo estímulo cada pessoa vai processá-lo de forma diferente. A sexualidade não só manifesta todo o nosso ser como também é manifestada pelo que ...

mae-filho

Emoções Básicas e Relações Afetivas

  • 15 de Jun de 2016
  • Sheila Almeida
  • 596 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

O medo, a raiva, a alegria e a tristeza são as quatro emoções básicas do ser humano, que sentimos em qualquer época, idade e cultura. Estas emoções não estão em nosso dia a dia por uma questão arbitrária ou de capricho, mas sim porque desempenham o papel principal em nosso desenvolvimento psicológico. Elas servem para nos avisar e guiar na conservação do nosso organismo e na nossa socialização. Vale recordar que todos temos medo, sentimos raiva, bem como nos alegramos e nos entristecemos, porque desta maneira a mente e o corpo se desenvolvem e nós podemos transcender como seres humanos e nos socializarmos.

gravida

Relacionamentos Conflituosos: Mudar é possível

  • 08 de Jun de 2016
  • Sheila Almeida
  • 391 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Muitos defendem a possibilidade da separação ser a melhor alternativa em algumas situações, quando a união se apresenta como insustentável. Nesses casos uma avaliação mais aprofundada da situação é necessária para que não se corra o risco de finalizar um relacionamento em que a felicidade seja possível, porque, muitas vezes, o clima conflituoso se origina em desentendimentos ocorridos devido a falhas na comunicação e interpretações errôneas. 

mao-coracao

Abuso Psicológico no Relacionamento Afetivo

  • 28 de Mai de 2016
  • Sheila Almeida
  • 2302 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Nas relações amorosas a presença de agressões psicológicas, que são aquelas que, independentemente do contato físico, ferem moralmente. É uma especialidade do meio familiar, e muito possivelmente, dos demais relacionamentos íntimos, chegando-se ao requinte de agredir intencionalmente com um falso aspecto de estar fazendo o bem ou de não saber que está agredindo.

espiritualidade-nas-organizacoes

Espiritualidade, uma experiência de transformação

  • 12 de Abr de 2016
  • Sheila Almeida
  • 461 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Todos os aspectos da consciência, sejam eles espirituais, cognitivos ou emocionais agem sobre o corpo. Em outras palavras, o corpo se manifesta respondendo a todos os pensamentos, emoções, desejos e crenças. Espiritualidade é a consciência de participação, de comunhão e a busca pessoal pelo sagrado ou divino feita por indivíduos ligados a uma instituição religiosa ou não. Pode-se vivê-la por meio da música, das artes, da meditação, de um ato de amor ou em momentos significativos e profundos.

reincarnacao

O que é Espiritualidade?

  • 05 de Abr de 2016
  • Sheila Almeida
  • 467 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

A prática da espiritualidade é um exercício diário e permanente para cada pessoa.  Consiste, basicamente, na busca pelo contato com seu Eu Interior, com a sua Essência e também na procura pela conexão entre esse Eu Interior e o Universo em que está inserido. Há em cada um de nós uma profundidade que não conseguimos alcançar. Estamos sempre questionando nossa própria essência, o sagrado e o universo. Além disto, temos necessidade de significado e sentido para a vida.

mente

A Importância do Autoconhecimento

  • 30 de Mar de 2016
  • Sheila Almeida
  • 471 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Podemos perceber que a autoestima está baixa quando desenvolvemos algumas características como: insegurança, inadequação, perfeccionismo, dúvidas, incertezas, de não ser capaz, de não conseguir realizar nada, de errar, e necessidade de agradar, ser aprovado, reconhecido pelo que faz e nem sempre pelo que é. Se você identificou algumas dessas características, pode ser que esteja precisando aumentar seu autoconhecimento para assim elevar sua autoestima. A maioria das pessoas com baixa estima sente mais facilidade em identificar as suas qualidades distorcidas.

mulher-olhando

Relações Amorosas e a Inveja

  • 13 de out de 2015
  • Sheila Almeida
  • 507 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

A inveja é um sentimento de aversão ao que o outro tem e a própria pessoa não tem. Este sentimento gera o desejo de obter exatamente o que os outros possuem (podem ser tanto coisas materiais, como qualidades inerentes ao ser).   O desejo é o de tirar essa mesma coisa de outro indivíduo, fazendo com que o mesmo fique sem. É um sentimento gerado pelo egocentrismo e pela soberba de querer ser maior e melhor que todos, não podendo suportar que outrem seja melhor.

mulheres-negras

Como ser uma Mulher Poderosa

A mulher poderosa lida bem com suas certezas.  Mas, às vezes, pode ser mais produtiva aceitar que simplesmente não vai fazer tudo. Aprender a abrir mão de certas metas, responsabilidades e tarefas pode ser difícil, mas libertador.   A mulher bem-sucedida reconhece aqueles que estão ao seu lado todos os dias – tanto em sua vida pessoal, quanto profissional. E que cordialidade não só torna melhores as pessoas, como promove a lealdade daquelas que a cercam.

mulher-maqueando

Características da Mulher Poderosa

  • 15 de Set de 2015
  • Sheila Almeida
  • 1432 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

A Mulher Poderosa é amável, porém decidida. Ela sabe quem é, conhece seus pontos fortes e fracos e gosta da própria companhia. Ela não abre mão da sua vida e se recusa a correr atrás de um homem, por mais que se sinta atraída por ele. Ela não permite que ninguém tenha controle total sobre ela e sabe se defender quando os outros passam dos limites.    A Mulher Poderosa sabe o que quer, mas não aceita ser desrespeitada para alcançar seus objetivos. Contudo, é capaz de fazer concessões que não a violentam e que são importantes para a harmonia do relacionamento. Por livre escolha. Ela usa a feminilidade a seu favor.

super-mulher

Dez dicas para ser uma Mulher Poderosa

A mulher que encontra o seu potencial é vencedora. A palavra vencedor significa "vence a dor". As mulheres vencedoras são completamente apaixonadas pelo que fazem, pois se não amar o que fazem, provavelmente não vão estar motivadas para progredir, inovar e de se destacar. Quando estão no controle, têm a capacidade de criar um ambiente mais saudável, feliz e equilibrado para si e para aqueles com quem convivem.

mulher-deprimida

7 Sinais Da Depressão

  • 18 de Jul de 2015
  • Sheila Almeida
  • 574 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

A depressão é um distúrbio afetivo que acompanha a humanidade ao longo de sua história. No sentido patológico, há presença de tristeza, pessimismo, baixa autoestima, que aparecem com frequência e podem combinar-se entre si. É imprescindível o acompanhamento médico e terapêutico, tanto para o diagnóstico quanto para o tratamento adequado.

homem-massagem-rosto

A crise da masculinidade

  • 25 de Mai de 2015
  • Sheila Almeida
  • 735 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Nos últimos anos, tem se discutido acerca da atual crise da masculinidade. O novo homem” estaria em crise porque não encontraria novos modelos para descrever sua nova condição masculina. Crise que se deve à participação das mulheres no campo do trabalho, do avanço da tecnologia no campo da sexualidade, na pluralidade de papéis e identidades sexuais, na redefinição do papel de pai, na maior preocupação com o corpo e com a estética, e a tentativa de manter e sustentar um modelo único no papel masculino.

homem-secando-cabelo

O papel do homem na família atual

  • 18 de Mai de 2015
  • Sheila Almeida
  • 1059 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

O homem acaba tendo uma “crise existencial”, deve não apenas dar suporte emocional e econômico à família, mas também respeitar a individualidade de sua companheira, demonstrar envolvimento na criação e educação dos filhos e participar, nos deveres do lar. Seja na família ou em um grupo social, o homem ainda é visto como um líder. Ao mesmo tempo, ele não é só mais o membro principal da família, aquele que trabalha para sustentar a casa, mas também aquele que divide tudo: trabalho, educação, afazeres domésticos.

homem-trabalho-faxina

A identidade da mulher e do homem na sociedade atual

  • 04 de Mai de 2015
  • Sheila Almeida
  • 1197 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Era o homem quem decidia com quem iria se casar, quantos filhos  teria, onde a família iria morar e tantas outras decisões estabelecidas ao homem, pelas tradições culturais da sociedade.   Ele era o "cabeça" do casal, o "chefe" da família, o "mantenedor" das necessidades dos filhos e da mulher, tendo sob sua responsabilidade, a manutenção de um abrigo, dando proteção e alimento. Tudo era decidido pelo homem e para o homem.

abraco

Você sabe o que significa o Amor Patológico?

  • 23 de Abr de 2015
  • Sheila Almeida
  • 641 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Quem ama patologicamente, não consegue sair da ilusão e nem enxergar a realidade. É como se a pessoa ficasse cega no momento em que nutriu a esperança.   Se a outra pessoa, por diversas circunstâncias, resolve sair da relação, o amante patológico jamais aceita este fato, dedicando então a sua vida inteira a reconquistar aquele amor de forma obcecada.

casal-brigando

O Amor doentio e o apego

  • 21 de Abr de 2015
  • Sheila Almeida
  • 901 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Quanto ao amor doentio e o apego, verifica-se que no apego seguro, a mãe é sensível às necessidades da criança e promove confiança, fazendo com que ela se sinta encorajada a explorar o mundo, estando apta a vivenciar o amor saudável durante a vida adulta. No apego rejeitador, há constante rejeição por parte da mãe quando a criança procurava obter proteção, gerando falta de confiança, Quando adulto passa a tentar viver sem amor e sem ajuda dos outros (emocionalmente autossuficiente). Para a pessoa com apego ansioso-ambivalente, os pais estiveram disponíveis em algumas situações e não em outras. Isso gera ...

controle-amor

Amor doentio - controle e dependência

  • 14 de Abr de 2015
  • Sheila Almeida
  • 1245 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

As principais estratégias utilizadas pelas pessoas que amam de forma doentia para controlar o outro são ligações telefônicas, seguir o parceiro, interrogar sobre as atividades dele, ser extremamente atencioso para com as necessidades dele e provocar ciúme. Há quem diga que o medo é a essência desse amor. A pessoa foge da sensação de isolamento tornando-se parte de outra. Isso ocorre porque o foco principal de sua vida é manter o parceiro sob controle, porque necessita da sua atenção.

mulher-homem-discussao

Quando o Amor vira Doença

  • 07 de Abr de 2015
  • Sheila Almeida
  • 675 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

No amor doentio a pessoa começa a viver em função do amado, vasculha tudo na vida do outro e corre um sério risco de estar caindo na cilada do ciúme excessivo. Quem tenta aconselhar se torna um inimigo, é como se destruísse algo saudável. Na visão daquele que ama demais, o relacionamento dele é normal porque sempre vai viver na expectativa de que a situação melhore, não notando que o amor que está vivendo é sinônimo de sofrimento. Porque ele ama muito, não liga de ser humilhado e sempre justifica as atitudes do ser amado.

tirando-alianca

Os Vários Tipos de Infidelidade

  • 24 de Mar de 2015
  • Sheila Almeida
  • 1113 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Todos os casamentos são imperfeitos e desapontam de uma maneira ou de outra. Isso é parte da vida. Entretanto, existem casamentos que não conseguem criar um mínimo de intimidade, sexo, prazer, nem muito menos companheirismo. São casamentos em que as pessoas não conseguem entrar, nem sair de vez. Então os parceiros buscam um tipo de "infidelidade salvadora", que tem a finalidade de diminuir as pressões sobre um casamento truncado.

homem-mulher-cama-celular

Mau Relacionamento = Infidelidade?

  • 17 de Mar de 2015
  • Sheila Almeida
  • 897 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Importa destacar que, mesmo que haja níveis de tensão/ distanciamento/ insatisfação muito elevados, existem respostas alternativas e que a infidelidade só acontece se um dos membros do casal escolher ser infiel. Ser infiel é só uma forma de fugir à solidão, à tristeza ou à insatisfação conjugal. O distanciamento pode resultar da incapacidade para resolver os conflitos, da falta de intimidade ou da falta de investimento na relação.

beijo-batom-camisa

Infidelidade: Prazer ou Dor?

  • 10 de Mar de 2015
  • Sheila Almeida
  • 662 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Uma pessoa comprometida pode não ser nutrida afetivamente pelo parceiro, gerando aumento do vazio no interior dela, que já devia existir em parte pelas perdas afetivas do passado infantil. Fica faltando um senso de importância, de valor, perturba a autoestima. A infidelidade pode ser a busca disso. Mas é um caminho de prazer ou de dor?

homem-mulher-cama-celular

Fiel ou Infiel: Sinais de Infidelidade Emocional

  • 03 de Mar de 2015
  • Sheila Almeida
  • 1722 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Para a maioria das pessoas, a palavra infidelidade implica um relacionamento com uma forte componente sexual. Contudo, é sabido que quase todas as traições começam por ser uma “amizade especial”. Por isso, os psicólogos e terapeutas de casal são constantemente confrontados com questões acerca dos “sinais” que permitam identificar uma situação de infidelidade em potencial. Todos gostariam de encontrar a “fórmula” da imunidade às traições.

Criança pensativa

Como melhorar a baixa autoestima?

  • 25 de nov de 2014
  • Sheila Almeida
  • 1194 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

A autoestima surge da autoimagem positiva que temos de nós, é algo que de forma proativa construímos. A autoestima não se constrói na passividade, nem quando pensamos que vem dos acontecimentos exteriores: a autoestima desenvolve-se no mundo real. O que se pretende é uma construção sólida, e isto só é possível a partir do nosso interior. Pessoas com a autoestima elevada, promovem a capacidade de serem felizes, aumentam o seu bem-estar e, consequentemente, a produtividade nas suas vidas.

Mulher espelho quebrado

Autoestima e autoconhecimento

  • 11 de nov de 2014
  • Sheila Almeida
  • 963 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Tendo uma autoestima positiva a pessoa crescerá entendendo que realmente ela é a imagem que formou de si. Assim se forma o seu ego, como um conjunto de ideias, vontades e crenças que desenvolvem sua perspectiva diante da própria vida. Se a infância e adolescência foram saudáveis, no processo de se tornar adulta, a pessoa tem boa conexão consigo mesma. Assim, o caminho do autoconhecimento é fácil e disto decorre, naturalmente, uma identidade plena e única.

Mulher deitada

Geração Canguru: entrevista com a Drª Sheila Almeida no Programa Frequência Baiana, na Radio Bandnews, 99.1

  • 04 de nov de 2014
  • Sheila Almeida
  • 822 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

"Tem um momento que os pais vão precisar tanto do cuidado desses filhos que não será a hora certa de os filhos saírem. A hora certa de sair é quando estão fortes e vigorosos, pais e filhos em toda a sua capacidade." - Sheila Almeida, terapeuta de casal e família. Maria Lorena Alves e Renato Cordeiro conversaram sobre a chamada geração canguru na Rádio BandNews FM.

Erros do relacionamento

  • 26 de Ago de 2014
  • Sheila Almeida
  • 8903 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Ao se propor entrar em uma relação, a pessoa tem que saber se está pronta. É preciso que tenha um propósito claro do que está buscando no envolvimento. Identificar os erros cometidos no passado e verificar o que é necessário mudar para que eles não se repitam no futuro, é fundamental. Um relacionamento costuma deixar resíduos que precisam ser trabalhados a fim de que possam ser liberados. Isso requer tempo e aceitação. É preciso perdoar a si mesmo e ao outro. Quando não perdoamos, mantemos ressentimentos que impedem que o amor aconteça de um modo feliz. Estar aberto(a) ao novo e não projetar ...

Medo da intimidade com o outro

  • 19 de Ago de 2014
  • Sheila Almeida
  • 732 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Já todos ouvimos falar de casais que não foram capazes de manter a sua relação porque um deles ter-se-á mostrado não preparado para as vicissitudes de um compromisso sério. Na maior parte destas histórias é o homem que revela esta incapacidade para se comprometer, mas também existem exemplos de mulheres que, mesmo que não o assumam abertamente, põem fim às suas relações (ou empurram-nas para a ruptura) porque têm medo do compromisso.  Independentemente das diferenças de género, algumas pessoas continuam a olhar para as relações amorosas de forma paradoxal - por um lado, ambicionam ...

Casal tterceira iidade

A velhice no mundo de hoje: entrevista com a Drª Sheila Almeida no Programa Frequência Baiana, na Radio Bandnews, 99.1

  • 16 de Mai de 2014
  • Sheila Almeida
  • 770 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

A velhice é uma fase da vida, igual as demais fases como infância, adolescência, adultez, com seus limites e suas conquistas. Usar termos como “melhor idade”, “terceira idade” são formas de estereotipar o idoso. Em muitos dos levantamentos que são realizados fica evidenciado que os relacionamentos afetivo-sexuais têm sido considerados um domínio praticamente exclusivo das pessoas jovens, das pessoas com boa saúde e fisicamente atraentes. A ideia de que as pessoas de idade avançada também possam manter relações sexuais não é culturalmente muito aceita, preferindo-se ignorar e fazer desaparecer do ...

Harmonizando as Relações

  • 13 de Mar de 2014
  • Sheila Almeida
  • 651 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Os meios de comunicação nos últimos anos têm veiculado reportagens que enfocam a atuação da mulher na sociedade contemporânea, sob uma nova perspectiva, ou seja, registram o empoderamento feminino, adotando como justificativa a crescente participação na vida pública, através da inserção nas universidades e no mercado de trabalho, o que tem proporcionado mudanças significativas no tocante aos papéis e atribuições desempenhados por ela no âmbito social e familiar. Discutir o papel da mulher no espaço público remete-nos à divisão de trabalho existente entre homens e mulheres, que os levou a assumirem posições desiguais em termos de ...

O que é Terapia?

  • 29 de Set de 2011
  • Sheila Almeida
  • 799 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

A procura por um processo psicoterapêutico pode ter como fator motivador desde uma busca pelo autoconhecimento à necessidade constatada de uma ajuda profissional para lidar com questões conflituosas, de ordem emocional, comportamental e/ou psiquiátrica, que estejam comprometendo funcionalmente a pessoa (trabalho, escola, finanças, amigos, família, etc.). O tratamento pode ser individual, em grupo, casal ou familiar, de acordo com a avaliação diagnóstica e o projeto terapêutico a ser definido pelo psicoterapeuta responsável. A psicoterapia visa, além de tratar os variados sintomas de características ansiosas e/ou ...

Violência doméstica: Um crime silencioso

  • 27 de Ago de 2011
  • Sheila Almeida
  • 825 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Violência doméstica é a violência, explícita ou velada, literalmente praticada dentro de casa ou no âmbito familiar, entre indivíduos unidos por parentesco civil (marido e mulher, sogra, padrasto) ou parentesco natural pai, mãe, filhos, irmãos. Inclui diversas práticas, como a violência e o abuso sexual contra as crianças, maus-tratos contra idosos, violência contra a mulher e contra o homem, além da violência sexual contra o parceiro. Pode ser dividida em violência física — quando envolve agressão direta, contra pessoas queridas do agredido ou destruição de objetos e pertences do mesmo (patrimonial); violência psicológica — ...

Transformações na Adolescência e as Implicações na Família

Transformações na Adolescência e as Implicações na Família Diz o artigo 2º do Estatuto da Criança e do Adolescente “considera-se criança para os efeitos desta Lei, a pessoa até doze anos de idade incompletos, e adolescente aquela entre doze e dezoito anos de idade”. Na adolescência acontecem alterações hormonais e mudanças de hábitos, o ambiente familiar é um espaço para explicações de razões sobre os sentimentos que podem surgir de irritações, de raiva, de impulsividade, de insegurança e de isolamento, provavelmente pela baixa estima, assim como de alegrias e satisfações. É uma fase de transformações físicas e psicológicas, em grande ...

Entendendo as Famílias do Século XXI

  • 25 de Jun de 2007
  • Sheila Almeida
  • 3361 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Entendendo as Famílias do Século XXI A família, atualmente, é bem mais complexa do que a família nuclear, na qual pais, mães e filhos conviviam sob o mesmo teto. O conceito de família vem evoluindo, principalmente em decorrência de mudanças sociais que não cessam de aceleradamente ocorrer, de novas modalidades de grupos familiares que vêm se formando, estabelecendo novos valores e acepções de vida. Muitos conceitos sobre família foram propostos ao longo do tempo, cada qual adaptado ao momento histórico e político em que se formou, inclusive sob forte influência econômica. Como grupamento cultural ou construção social, apesar da ...

Família Monoparental, um Cônjuge e Seus Filhos

  • 15 de Jun de 2007
  • Sheila Almeida
  • 1109 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Família Monoparental,um Cônjuge e seus Filhos   Em cada fase do ciclo de vida, a família tem que mudar para se adaptar às modificações estruturais, funcionais e de papéis a que cada etapa dá lugar. Mas, se há certas modificações no ciclo de vida familiar que são próprias e exclusivas de cada etapa, outras podem surgir em qualquer etapa do ciclo como é o caso da monoparentalidade. A família monoparental é uma tipologia familiar que se origina após um acontecimento vital estressante tal como o falecimento de um cônjuge, uma separação, um divórcio, ou o abandono do lar por parte de um dos cônjuges, mas também no caso da mulher ...

Vício do Dinheiro

  • 26 de Jan de 2007
  • Sheila Almeida
  • 594 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Vício$ do Dinheiro   O dinheiro é parte importante de nossas preocupações e afazeres cotidianos. No dia-a-dia de cada um, porém, é apenas mais um dado de realidade; sua natureza última e funções sociais não despertam nenhum interesse. As pessoas contentam-se em conseguir o valor para pagar suas contas e está muito bom assim. Em toda sociedade cedo se percebe a vantagem da divisão e especialização do trabalho, pois o esforço especializado rende muito mais do quer sua dispersão em múltiplas tarefas concomitantes. Daí decorrem naturalmente as trocas entre produtores de mercadorias específicas. Desse intercâmbio surgem razões de ...

Reportagem sobre Família

  • 21 de Fev de 2006
  • Sheila Almeida
  • 554 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Terapeuta Familiar critica falta de política pública para atendimento às famílias disfuncionais A falta de acesso gratuito da população a tratamentos terapêuticos especializados, ou seja de uma política de saúde mental pública mais abrangente, vem aprofundando mais ainda a crise de relacionamentos atualmente enfrentada pelas famílias brasileiras. “Uma insensibilidade absurda”, desabafa a psicoterapeuta baiana Sheila Almeida, que alerta para o labirinto em que pais e filhos estão se “emaranhando” por não saberem que caminhos adotar para sair dos conflitos internos e externos. A modernidade “líquida" em que vivemos, um mundo repleto de ...

Família e Adolescência

  • 12 de Ago de 2005
  • Sheila Almeida
  • 531 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Ciclo de Palestras Gratuitas “A Família que se vive, a Família que se sofre” Tema do dia 17/08/2005 “Transformação do Sistema Familiar na Adolescência” Você sabia que a adolescência exige mudanças na família que envolvem pelo menos três gerações ? Que a adolescência dos filhos pode reativar questões emocionais dos pais ? Que não é incomum que a adolescência redefina os relacionamentos dos pais e avós, que leve o casal a repensar o casamento e os irmãos a questionarem sua posição na família ? Fazendo parte do Ciclo de Palestras Gratuitas "A Família que se vive, a Família que se sofre" assista a palestra que trata do impacto que a ...