Aqui você se encontra!

Erros do relacionamento

  • 26 de Ago de 2014
  • Sheila Almeida
  • 8998 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Ao se propor entrar em uma relação, a pessoa tem que saber se está pronta. É preciso que tenha um propósito claro do que está buscando no envolvimento. Identificar os erros cometidos no passado e verificar o que é necessário mudar para que eles não se repitam no futuro, é fundamental. Um relacionamento costuma deixar resíduos que precisam ser trabalhados a fim de que possam ser liberados. Isso requer tempo e aceitação. É preciso perdoar a si mesmo e ao outro. Quando não perdoamos, mantemos ressentimentos que impedem que o amor aconteça de um modo feliz.

Estar aberto(a) ao novo e não projetar expectativas no relacionamento que chega é um modo saudável de manter-se receptivo(a) ao amor e ao parceiro. É preciso ter esperanças, mas não expectativas. A diferença entre uma e outra é que, quando se tem esperança, desejamos que tudo corra da melhor forma e nos mantemos abertos, fluindo com os acontecimentos, dentro da aceitação do outro e de nós mesmos. Quando projetamos expectativas, criamos uma fantasia do que deverá ser o relacionamento, criando com isso, um obstáculo à sua realização.

A expectativa significa que esperamos que o outro aja de uma determinada maneira. Se isso não acontece, sentimo-nos frustrados, enganados. Ou seja, por desejarmos que o outro siga o roteiro que escrevemos para ele, somos, mais uma vez, responsáveis pela decepção que criamos para as nossas vidas. Atenção, esforço e responsabilidade são as ferramentas necessárias para fazer do novo relacionamento um sucesso.

Os erros mais importantes que os casais cometem é o medo do novo, o medo da solidão, o “grude”, a idealização, entregar o seu poder para o outro, a comparação e criar uma falsa imagem de si mesmo.  Muitas pessoas ultimamente têm procurado técnicas e fórmulas milagrosas que as ensine a salvar o seu relacionamento. Contudo, tão importante quando saber o que fazer de certo em um relacionamento, é saber o que não fazer para estragá-lo.  Se você puder prestar atenção aos seus atos cotidianos, identificar e evitar as atitudes destrutivas, certamente estará contribuindo de forma positiva para o futuro da relação.

Deixe um comentário