Aqui você se encontra!

O que é Terapia?

  • 29 de Set de 2011
  • Sheila Almeida
  • 958 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

A procura por um processo psicoterapêutico pode ter como fator motivador desde uma busca pelo autoconhecimento à necessidade constatada de uma ajuda profissional para lidar com questões conflituosas, de ordem emocional, comportamental e/ou psiquiátrica, que estejam comprometendo funcionalmente a pessoa (trabalho, escola, finanças, amigos, família, etc.).

O tratamento pode ser individual, em grupo, casal ou familiar, de acordo com a avaliação diagnóstica e o projeto terapêutico a ser definido pelo psicoterapeuta responsável. A psicoterapia visa, além de tratar os variados sintomas de características ansiosas e/ou depressivas, o enfrentamento e a resolução de conflitos nos diversos contextos e proporcionar a busca do indivíduo por qualidade de vida e saúde.
A psicoterapia é um espaço que vai sendo construído ao longo de encontros entre o psicoterapeuta e a pessoa – quando a psicoterapia é individual – ou entre o psicoterapeuta e um grupo de pessoas – na psicoterapia de grupos. Ou com um casal ou uma família. O intuito da psicoterapia é produzir um conhecimento sobre o sujeito, abarcando diversos aspectos de sua vida, desde reflexões sobre sua existência, busca de autoconhecimento, até tratamentos de psicopatologias, ou de alguma situação difícil que está acontecendo e que ela não tem forças ou meios para lidar com isso, como por exemplo a perda de um ente querido, a descoberta de uma doença grave, uma situação traumática como um roubo, um sequestro.
Com a função de dar apoio à pessoa, a psicoterapia, vai ajudá-la a ver as diversas situações que acontecem em sua vida por uma outra ótica, com lentes que possibilitam uma imagem mais clara e nítida, e com isso dão segurança no caminhar cotidiano. É, acima de tudo, uma construção conjunta – do paciente e do psicoterapeuta – de saberes sobre a pessoa, de tal modo que se possa fortalecer um vínculo com a terapia, e consequentemente, com os novos conhecimentos produzidos, a fim de criar novos modos de lidar com a realidade, que novos desafios possam ser superados e que processos de melhoras possam se estabelecer.

O tempo de duração da psicoterapia é algo muito questionado pelas pessoas que se propõem a fazê-la. Entretanto, é uma discussão complexa, uma vez que como existem diversas correntes teóricas (psicanálise, cognitivo-comportamental, psicodrama, transpessoal, entre outras) que poderão dar sustentação a psicoterapia, esse é um fator que dependerá de cada profissional e daquilo que o paciente espera da psicoterapia. Existem psicoterapias breves, que vão bem pontuais, que podem ter duração de 3 a 6 meses, outras, como a psicanálise, quando o intuito é auto conhecimento, pode durar vários anos. Por isso é interessante a pessoa dizer o que espera da psicoterapia para o terapeuta, para que ambos possam propor uma meta e um período para referenciar o trabalho, e não somente não fixar um tempo de duração.

O trabalho do psicoterapeuta é fazer uma construção conjunta de conhecimentos sobre a pessoa, porque ninguém sabe mais de sua vida, de sua vivência, de suas experiências, de seus sofrimentos, de suas alegrias, do que ela mesma. São esses conhecimentos, entre outros, que são resgatados e reproduzidos na sessão de psicoterapia. Essa técnica é uma fonte de informações riquíssimas e que muito do sofrimento e dos sintomas das pessoas podem se explicar nesse trabalho conjunto, além de possibilitar rever condutas, sentimentos próprios e de outras pessoas, de compreender e criar possibilidades de lidar com essas situações que já passaram e outras que ainda virão.

Então, qual é o objetivo de um processo psicoterapêutico? Visa facilitar o movimento natural da vida, criar oportunidades para que a pessoa aprenda sobre ela mesma. Os sintomas que geram a necessidade do processo psicoterapêutico tendem a desaparecer a medida em que aprendemos o que eles tem a nos ensinar. Em suma, o objetivo de um processo psicoterapêutico é dar condições para que a pessoa se desenvolva aprendendo sobre ela mesma através de seus sintomas e das trocas estabelecidas neste processo.
 

Deixe um comentário