Aqui você se encontra!

Eventos

28
Abr

A depressão e a ansiedade são sinais de luta, não de fraqueza

Sábado - 14h as 18h
  • 15 Vaga(s)
  • 161 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar
mulher-ruendo-unhas

Sobre o evento

Será um espaço em que iremos analisar como a depressão e a ansiedade não são sinônimos de fraqueza ou são consequências de escolhas pessoais, e que não podemos decidir se queremos ou não que essas condições nos acompanhem.

Os problemas emocionais não funcionam assim, não se trata de uma opção de sempre se sentir mal e pegar um pouco de tristeza e de ansiedade para ver se envolver. Esses não são sinais de fraqueza, nem de fragilidade ou pobreza de espírito. Tampouco são sinais de rendição ou negligência.

Na verdade, poderíamos dizer que são sinais de luta, de enfrentamento perante as adversidades da vida ou perante situações pessoais muito incômodas e dolorosas, perdas, experiências negativas e incertezas.

Para quem se destina?

Destina-se a uma parcela expressiva de pessoas, que no momento atual apresenta depressão ou crises de ansiedade ou àquelas que se interessam pelo tema. Como consequência disso, nós afundamos em um estado de ânimo ansioso, depressivo ou uma mistura de ambos, a partir do qual passamos a evitar ao máximo sair de casa, não nos sentimos bem fora do lar, nem realizando tarefas ou atividades que antes nos pareciam muito satisfatórias, e nem nos relacionando com as pessoas que nos rodeiam.

Então tudo parece insuperável, mas nesse ponto precisamos de ajuda profissional que nos apoie com abordagens terapêuticas que tragam coerência emocional à situação, e nos ajude a superá-la. O mais importante é dar o primeiro passo do processo: pedir apoio á família, aos amigos e apoio psicológico para equilibrar nosso estado emocional e curar nossos pensamentos.

O que você irá aprender?

Que a depressão ou a ansiedade não são uma situação cômoda para ninguém e, de fato, pode ser que nesse momento comecem a aparecer críticas, comentários e atitudes repletas de incompreensão, como “Não chore, não é pra tanto”, “É muita covardia”, “Enfrente a vida de uma vez ” … Esses tipos de frases alimentam ainda mais a tristeza, a apatia e a ansiedade no dia a dia.

Do mesmo modo que não nos ocorreria ignorar uma dor ou doença física, não podemos nunca ignorar as dores psicológicas. Devemos dar a importância merecida a nossas feridas emocionais, porque o mal estar psicológico requer um tratamento para uma cura, um trabalho e um apoio que são imprescindíveis para que passe.

Deixe um comentário